segunda-feira, 29 de agosto de 2011

SÍMBOLOS

     Começarei assim: o símbolo evoca a intuição, a linguagem sabe apenas explicar, expressando o pensamento, o símbolo está aprofundado nas raízes mais profundas da nossa alma,a linguagem é somente como uma leve brisa, superficialmente a compreensão. 
    "As palavras fazem o infinito finito, os símbolos arrebatam o espírito para além dos limites do finito e mortal até o reino do ser inifinito", disse Bachofen.E ainda Creutzer: "O símbolo é capaz de em certo sentido tornar visível até o divino...com irresístivel força ele atrai o homem que o contempla e, imprescindível como o próprio espírito do mundo toca a nossa alma...como uma única expressão designa-se nele a visão do divino e a apoteose da imagem terrena".   
     Preciso diferenciar o conceito de signo e símbolo. Signo é uma parte do fundo físico do ser e o símbolo é uma parte da mundo humano dos sentidos e o homem pode ser considerado um "animal simbólico".   
     A palavra símbolo( symbolan) , formada a partir do verbo grego symballo que queria designar algo por trás do sentido objetivo e visível , oculto, um sentido invisível e mais profundo. O símbolo tem a função de transceder.   
    Um dos conceitos básicos da Psicologia Junguiana são os Arquétipos, que não me aprofundarei neste post devido a sua complexidade,farei uma postagem somente sobre os principais Arquétipos contidos em nossa Psique,só adiantarei alguns aspectos básicos, mas quando um arquétipo aparece no aqui e agora do espaço e tempo, podendo de algum mundo ser percebido pelo consciente, pode ser chamado de símbolo.Um arquétipo nunca pode ser encontrado de uma forma direta, mas indiretamente através de um símbolo.   
     Atualmente vivenciamos uma época em que os símbolos são aceitáveis. A imaginação não é mais desprezada como a la folle du logis,a louca da casa, hoje considerada também pela razão, inspiradora de descobertas e do progresso, devendo essa aceitação principalmente a antecipação da ficção, que a ciência compreendeu pouco a pouco.  
     Jean Chevalier disse: "Os 'simbolos estão no centro, constituem o cerne dessa vida imaginativa. Revelam os segredos do inconsciente, conduzem às mais recônditas molas da ação, abrem o espírito para o desconhecido e o infinito."  
     Nós utilizamos os símbolos o tempo todo, em nossa linguagem, gestos, sonhos, que percebamos ou não, cada um de nós utiliza.    As próximas postagens serão de livros em que a simbologia se fará fortemente presente e que tentarei trazer esses símbolos a consciência.Os símbolos estão inseridos em nossa Literatura, até os contos de fadas estão repletos de símbolos que nos são apresentados mesmo que inconsciente na infância, pois o homem vem tentando que a expressão simbólica seja manifestada de qualquer forma, através da Arte, Literatura, Cinema,traduzir o esforço para decifrar e subjugar um destino que lhe escapa através das obscuridades que o rodeiam.O símbolo tem um contéudo numinoso, mágico, transformador.  

      Para finalizar, com Goethe que disse algo que admiro e me faz refletir: "O simbolismo transforma o fenômeno em idéia , a idéia em imagem, de tal modo que a idéia permanece sempre infinitamente ativa e inatíngivel na imagem e, mesmo expressa em todas as línguas, permaneceria indizível."

Um comentário:

  1. Oi, Cintia, excelente. Os simbolos são uma forma significativa de contato.

    ResponderExcluir